Canonical lança o Ubuntu 18.04 LTS .


Canonical lança o Ubuntu 18.04 LTS, com diversas novidades

Postado Por Ronaldo Gogoni em 27 04 2018 em Android e Linux, Destaques, Software

A Canonical acaba de atualizar uma das distribuições Linux mais populares: o Ubuntu chega à versão 18.04, vulgo “Bionic Beaver” de Suporte de Longo Período (LTS), com atualizações garantidas pelos próximos cinco anos. Para quem só atualiza a plataforma a cada nova versão segura, esta traz uma série de novidades na interface e operação.

Conforme decisão tomada pelo CEO Mark Shuttleworth em 2017, a Canonical encerrou o desenvolvimento da interface Unity e a partir da versão 17.10 abraçou a GNOME Shell (ou GNOME 3), já utilizada por várias distros como Debian, Fedora, Manjaro e outras. A decisão se deu por conta da desistência de investir no mercado mobile e pela repulsa de boa parte da comunidade, em especial dos usuários intermediários e dos heavy users que sempre acharam a interface pesada, simplória e com ferramentas de menos. Ainda assim, a Canonical mexeu na interface pura de modo a manter algumas das características da Unity.

Para quem está migrando do 16.04 LTS, uma das novidades da interface é o dock lateral que permite a fixação de apps e o ícone na parte inferior, que abre a bandeja com todos os programas instalados. Na barra superior o ícone do relógio exibe também as notificações de sistema, enquanto um widget à direita oferece um menu para controle de conexões, usuários conectados, volume e outras coisas.

Os botões de janela foram deslocados da esquerda para a direita, mas isso pode ser ajustado nas configurações de aparência do sistema.

Uma das novidades é a possibilidade de realizar uma instalação mínima do sistema, contando apenas com o navegador Firefox e utilitários básicos, excluindo o pacote LibreOffice, games, players de mídia e outros programas menos essenciais. Assim, o usuário fica livre para acrescentar no Ubuntu apenas o estritamente necessário.

E assim como aconteceu com o 17.10, o 18.04 LTS não conta com uma versão de 32 bits para a versão de desktop; apenas versões menores como a Mininal ou procedimentos de instalação via rede fornecem o sistema ainda compatível com i386.

Sob o capô o sistema está um pouco mais versátil: os snaps, aplicativos pensados para se tornarem o formato universal do Linux (desenvolvidos para rodar em qualquer distro e que não dependem dos repositórios de cada uma para serem atualizados; eles podem inclusive reverter versões para corrigir bugs) ganham maior suporte e apps simples como Calculadora, Monitor de Sistema e Mapa de Caracteres, entre outros passam a ser snaps. Porém, com a inclusão de uma loja exclusiva para o formato é possível selecionar entre os mais de 2.500 snaps disponíveis, entre eles LibreOffice, Spotify, Firefox, Chromium, Skype e outros.

Já o “Canonical Livepatch” é uma ferramenta bastante útil, que permite a inclusão de patches diretamente no kernel Linux sem a necessidade de reiniciar o computador. No entanto, para utilizar a facilidade é preciso logar no sistema com uma conta Ubuntu One, e para essa e outras finalidades o Ubuntu 18.04 LTS coleta uma quantidade considerável de dados do usuário, desde modelo do PC e processador, quantidade de memória, sua Área de Trabalho, que programas você tem instalados e fuso horário configurado, além de relatórios de erros. No entanto, tudo pode ser desligado nas configurações.

Falando do kernel em si, o Linux 4.15 oferece suporte aos mais recentes periféricos de modo que todos funcionem tão logo o Ubuntu seja executado da primeira vez, suporte à tecnologia de criptografia segura de memória da AMD e melhor gerenciamento de energia para máquinas com o recurso SATA Link Power Management.

Por fim, o Ubuntu 18.04 LTS continua utilizando o motor gráfico Xorg como padrão mas oferece no login a possibilidade de alternar para o Wayland, que ainda não suporta drivers da nVidia, e passa a exibir emojis coloridos em quase todas as instâncias do sistema; a fonte escolhida foi a Noto Color Emoji do Google, a mesma presente no Android 8.0 Oreo.

Linux Scoop — Ubuntu 18.04 LTS – See What’s New

Você pode baixar o Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver através do site oficial que oferece opções de download direto ou torrent, e as novas versões das variantes Kubuntu, Xubuntu, Lubuntu e Ubuntu MATE já estão igualmente disponíveis; os desenvolvedores do campeão de audiência Linux Mint prometem a versão 19, codinome “Tara” para junho.

Fontes: How to Geek e OMG! Ubuntu!
Facebook36
Twitter
Google+
WhatsApp
Relacionados: canonical, Distro Linux, Gnome, GNOME 2, Gnome 3, Kubuntu, Linux Mint, lubuntu, mint, ubuntu, Ubuntu 18.04 LTS, Ubuntu MATE, Xubuntu

Autor: Ronaldo Gogoni

Publicação MeioBit

Esta entrada foi publicada em O.S Linux. Adicione o link permanente aos seus favoritos.